Skip to content

Tokyo!

13/11/2009

O já conhecido e ovacionado Michel Gondry, juntou-se a outro diretor francês, Leos Carax e ao sul coreano Joon-ho (diretor de “O Hospedeiro”) para escrever e dirigir uma verdadeira bomba!.

Gondry é responsável pelo morno segmento Interior Design, onde uma garota sentindo-se sozinha em seu relacionamento, acaba-se por transformar-se “em uma cadeira”. O bizarro (no mau sentido) e gratuito segmento de Carax mostra um caucasiano desgrenhado saindo dos bueiros e indo de encontro a prisão por seu comportamento terrosrista(!), dá vontade de sair da sala e acaba com qualquer ânimo que sobrasse para Shaking Tokyo, do diretor coreano, onde um recluso apaixona-se por uma entregadora de pizza que desmaia a sua porta durante um terremoto. Na verdade os seguimentos ímpares apresentam sintonia, falam de solidão na metrópole de forma sensível e abstrata, o problema é a logística de ser o seguimento posterior a Merde, que esgota psicologicamente e faz com que não apreciemos Shaking Tokyo como deveríamos.

Tokyo! foi descrito como “permeado pelo bizarro, ou melhor, pelo fantástico”. Mas acaba mesmo é por provar que 3 bons diretores podem fazer um filme ruim.

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. Giovanni permalink
    28/11/2009 22:14

    desculpa mas os filmes são brilhantes:
    – a mulher que não sabe o que quer da vida e vai fazer decoração interior, pois acha que só assim se encontra – no filme vira uma cadeira.
    – a criatura ingênua que não gosta de pessoas. É de uma raça diferente. O estranho naquele país – ou em qualquer outro país. Mostrar que existem opiniões pró e contra no Japão. O medo do desconhecido. A comparação com Godzilla, o monstro verde que destrói a cidade. A língua que ninguém entende e precisa de alguem de fora pra traduzir para o Japonês. Mas ninguém está nem aí para que língua é aquela, ou de onde eles são. Mas vc pode tentar matar que eles continuam lá. Godzilla foi para Nova york.
    – o isolamento existente em Tokyo (baixo índice de natalidade) talvez tenha feito o diretor escrever alguma coisa para que os japonenses se enxerguem. A coisa do “um botão” para resolver um problema. Tokyo precisa se mexer quanto a isso…
    Mas, tem gente que não gosta. Fazer o quê?

    • 02/12/2009 15:05

      Como toda arte, é uma experiencia individual, e tb respeito essa democracia. Seja sempre bem vindo a comentar sobre os filmes por aqui Giovanni :)

  2. 31/10/2009 14:29

    acabou não rolando uma opiniãozinha, infima que fosse, sobre SHAKING TOKYO, de longe o melhor dos três segmentos.

    • 03/11/2009 22:20

      pois eh o melhor dos tres mesmo, o problema eh a logistica, depois do Merde nao tem como apreciar como devia o terceiro seguimento, ele e o primeiro tem bastante sintonia,mas o segundo me esgotou psicologicamente. mas vc está corretissimo, vou acrescentar :)

  3. 26/10/2009 07:28

    filme permeado pelo fantástico??
    ele não viu o mesmo filme que eu….o filme que eu vi, é um crime para a humanidade

Trackbacks

  1. Realizador de Cannes « A Bonequinha Viu no Festival do Rio 2009

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: